Um ensilado de alta qualidade é a chave para otimizar a produção pecuária. Fique atento às seguintes dicas de gestão para produzir uma ensilagem de capins e leguminosas de alta qualidade.

 

Cuidados no campo
Cuidados efetivos no campo incluem:
    • Destorroamento e nivelamento

    • Programa de fertilização adequado

    • Monitoramento do pH e outros macronutrientes

    • Ressemeadura regular

O uso intensivo, os cortes tardios, os prejuízos causados pelo inverno, os danos causados por animais, o pisotear e os sinais dos pneus, por exemplo, podem causar buracos indesejáveis na superfície do terreno. Tanto o rendimento de MS como as concentrações de energia diminuem gradualmente com o tempo.

Momento do corte

O momento ótimo para fazer o corte é justamente antes do espigamento para maximizar tanto a qualidade, como o rendimento. Quando se atrasa o corte, a planta segue seu amadurecimento, aumenta o rendimento porém diminui a qualidade e a digestibilidade. Um primeiro corte prematuro estabelece a base para uma elevada qualidade para todos os cortes posteriores.

Altura de corte

A altura mínima de corte é de 7,62 cm (alfafa/leguminosas pelo menos 10,16 cm), porém pode variar em função da cultura e das condições ambientais.

Altura mínima de corte:
    • Promove rápido rebrote

    • Reduz as cinzas e, portanto, aumenta o conteúdo energético

    • Reduz a introdução de esporos indesejados de microrganismos

Murchamento

Mantenha o tempo de murchamento o mínimo para alcançar a MS desejada de 28 – 35% de MS. O tempo de murchamento deve limitar-se a 24 horas para minimizar as perdas energéticas. Quanto mais o tempo passar, mais perdas de MS e açúcares serão geradas pelo processo respiratório.

Encurtar o tempo de murchamento:
    • Reduz as perdas por respiração, fragmentação e lixiviação

    • Previne perdas de carboidratos e adequa a cultura ao processo de ensilagem

    • Reduz a proteólise e melhora a qualidade das proteínas

As ensilagens excessivamente úmidas podem dar lugar a fermentação de ácido butírico, enquanto que as silagens excessivamente secas são difíceis de compactar e, portanto, são mais propensas a fermentação secundária e ao reaquecimento. Acima de 45-50% de MS já não se pode conseguir a compactação adequada.

Tamanho de partícula

O tamanho ideal de corte para silagens de gramíneas e leguminosas é de 1,27 a 2,54 cm. Um comprimento excessivo da partícula e uma maior quantidade de fibra bruta dificultam a compactação, por isso, recomenda-se o corte mais curto para materiais com elevado conteúdo de MS.

Tamanho de partícula é essencial para:
    • Compactação precisa, utilização eficiente da silagem e redução de perdas

    • Melhora a digestão das células vegetais e, portanto, a produção para ácido lático

    • Reduz a porosidade ao oxigênio depois da aberturado do silo e, portanto, o risco de reaquecimento

    • Melhora a ingestão do alimento

Aditivos pra ensilagem

Um processo de fermentação eficaz é obtido quando se seguem os princípios fundamentais da ensilagem e pode melhorar ainda mais mediante a aplicação de aditivos pra ensilagem.

Dicas uteis:
    • Os produtos com BAL só poderão ser efetivos se forem dosados com precisão e aplicados corretamente. Os microrganismos não se movimentam através da massa de forragem, por isso, devem ser distribuídos adequadamente em toda a matéria antes de ser armazenado.

    • Sempre aplique inoculantes bacterianos testados por pesquisa e projetados para categorias específicas de forragem e MS.

    • Utilize um aplicador limpo e funcional. Higienize diariamente e desinfete quando não for utilizar por alguns dias.

Compactação

A entrada de oxigênio no silo faz com que se produza fermentação secundária e reaquecimento. Isto provoca perdas tanto de MS como de energia. Quanto mais compactada estiver a silagem, menos oxigênio poderá penetrar pela face do silo.

Medidas para uma ótima compactação e armazenagem:
    • Encher o silo em camadas finas (não mais que 15,24 cm)

    • Silagem com elevado conteúdo de MS devem ser armazenadas fazendo-se camadas ainda mais finas

    • A velocidade máxima do trator durante a compactação deve ser entre 3,21 e 4,82 Km/h

    • Compactar consistentemente as camadas

    • Não compactar excessivamente as extremidades, isto pode causar um efeito de rebote e a silagem se solta novamente

“Regra geral das 800 libras (362 Kg)” – Cálculo do peso do trator de compactação: Multiplique as toneladas de material que entram no silo em uma hora por 800 e o resultado será o peso do trator necessário para fazer a compactação adequada.

Cobertura do silo

Depois do silo estar finalizado a silagem deve ser coberta e selada o mais rápido possível:

    • Os plásticos que são barreira de oxigênio se aderem diretamente a silagem

    • A lona de cobertura superior deve ser hermética

    • As redes de ensilagem ou lonas protegem os filmes, contra os danos mecânicos e proporcionam um peso adicional

    • Pneus cortados pela metade devem ser colocados sobre o plástico para agregar-lhe sustentação e não devem ter espaços entre eles

    • As paredes laterais deve ser envelopadas com lonas

Face do silo

O avanço diário mínimo na face do silo é de 15,24 cm, porém pode-se extrair mais (especialmente durante os meses de verão). O objetivo geral é remover o suficiente para evitar o reaquecimento. As máquinas utilizadas para retirar a silagem ajudam a manter a face do silo mais integra possível para minimizar a penetração de oxigênio.

Como evitar a fermentação secundária e o reaquecimento:
    • Projetar os silo de verão com faces menores

    • Assegurar-se que a face do silo esteja longe da direção do vento predominante

    • Retirar a menor quantidade possível de plástico de cobertura da silagem

    • Calcular o tamanho do silo e o avanço na face em função do tamanho do rebanho